Páginas

quarta-feira, março 22, 2006

Passado

Se eu ainda soubesse
Como mudar o mundo
Se eu ainda pudesse
Saber um pouco de tudo
Eu voltaria atrás do tempo

Eu não te deixaria
Presa no passado
E arrumaria um jeito
Pra você estar ao meu lado de novo
Eu voltaria no tempo

Refrão:
Pra voltar pra ontem
Sem temer o futuro
E olhar pra hoje
Cheio de orgulho
Eu voltaria atrás do tempo
Eu voltaria atrás
Atrás do tempo

Os nossos erros
Seriam apagados
Nossos primeiros desejos
Ressuscitados
E de novo eu voltaria no tempo

Eu não te deixaria desistir tão fácil
E não te negaria nenhum abraço
De novo
Eu voltaria no tempo


Maurício Barros e Guto Goffi

quarta-feira, março 15, 2006

Não vou parar de te olhar


"É isso aí
Como a gente achou que ia ser
A vida tão simples é boa
Quase sempre
É isso aí
Os passos vão pelas ruas
Ninguém reparou na lua
A vida sempre continua

Eu não sei parar de te olhar
Eu não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não sei parar
De te olhar

É isso aí
Há quem acredite em milagres
Há quem cometa maldades
Há quem não saiba dizer a verdade

É isso aí
Um vendedor de flores
Ensinar seus filhos a escolher seus amores

Eu não sei parar de te olhar
Não sei parar de te olhar
Não vou parar de te olhar
Eu não me canso de olhar
Não vou parar de te olhar"

quinta-feira, março 09, 2006

Meu amigo de novo

Eu cheguei do trabalho cansado e mal humorado.
Fiquei jogando no computador, fazendo hora para ver se o sono chegava.
Aí, vejo meu novo amiguinho (quem não o conhece clique aqui)
Veio desconfiado, devagar, me vendo jogar.
Parou do lado do parente (mouse) e ficou nas patinhas traseiras me olhando.
Seus bigodes mexiam devagarzinho, analisando...
Ele subiu no teclado, e começou a sua dancinha esquisita.
-"Qual é, não vai trabalhar hoje?"
-"Já trabalhei, 10 horas para ser exato"
-"Tô falando de escrever"
-"Totalmente sem saco para isso hoje"
-"Tem que praticar, você é meio lerdo"
-"Lerdo? Você deveria me inspirar, incentivar, não?"
-"Cada um com a musa que merece... Com o seu talento é tudo que recebe"
-"Puts... Chego em casa, p... da vida e ainda você vem me torrar?"
-"Mas tem que praticar meu caro amigo"
-"Olha, escrever pra mim é hobby, escrevo quando estou a fim"
-"Por isso que sai tanta coisa 'mais ou menos', tem que praticar, praticar, praticar"
-"Tá bom!!!! Vou escrever! Mas o quê?"
-"Aí já é com você. Só vim aqui te botar para trabalhar"
-"Vale transcrever a nossa conversa?"
-"Fraquinho, hein? Dessa vez passa"
E lá foi aquele rabinho branco se esconder atrás das caixas de som enquanto eu tamborilava no teclado

terça-feira, março 07, 2006

Professoras

Queria escrever alguma coisa para homenagear você mulher no seu dia.

Só me veio na cabeça nessa véspera do dia 8 te comparar com uma professora.

Logo quando a gente nasce, uma mulher nos ensina que temos que chorar se quisermos comer. E a comida vem morninha, servida pelo seio materno com uma doçura d´alma e com um calor de coração que nos preenche.
Essa mesma mulher vai nos ensinando um monte de coisas, comer papinha, primeiros passos, primeiros palavras, usar o peniquinho.

Alguns, afortunados como eu, têm irmãs, professoras que nos ensinam a dividir, mesmo que isso às vezes custe brigas, beliscões e tapas.

Tias, primas, avós, todo um batalhão de mulheres que fazem parte das nossas vidas, nos moldando, nos ensinando.

Logo chegamos na escola, onde as "tias" tem milhões de coisas pra nós, somando-se a quase uma dezena de "professoras". Vão nos construindo como alunos, tornando-nos cidadãos.

E o tempo vai passando...

Logo somos adolescentes. Cheios de "querer", de "pegar", de "ficar" e outras gírias. Disputando entre nós homens quem é o mais "macho", mais "pegador"
E aparecem os primeiros namoricos, onde aprendemos a ser gentis, a fazer cafuné, a roubar flor escondido, a fazer serenata para darmos a vocês.
Vocês nos ensinam com um jeitinho peculiar que não precisamos ser o 'macho', mas apenas Homem.

Assim várias mulheres-professoras vão passando, algumas ficando, pela nossa vida. Todas nos ensinando alguma coisa, nos tornando mais perto de Deus.


Feliz Dia Internacional da Mulher

Novo companheiro

Caro paciencioso leitor deste minifúndio.
Não pense que enlouqueci ou voltei a beber, coisa que já não faço a 3 meses.
Ou que sonhava enquanto escrevia, sinceramente não sei.
Só sei que arrumei um companheiro de escrita.

Deixe-me contar com detalhes como ele apareceu...

Já era madrugada e eu tamborilava as teclas, sem sucesso algum.
Totalmente sem inspiração. E olha que ela não é das melhores, você sabe disso.
Pois é. Tava eu aqui, imaginando o que escrever, já quase apelando para copiar uma receita de bolo.
Aí sem mais nem menos, de trás da caixinha de som, em cima da mesa aparece um bicho.
Sei lá que bicho era aquele, parecia uma cruza estranha do Gizmo (Gremlins, só vão lembrar-se quem tem mais de 25 anos) com um hamster ou um porquinho-da-índia.

Eu achei que tava pirando. Ele veio desconfiado, os bigodinhos tateando até chegar perto do teclado. Pulou em cima e começou a dançar em duas patinhas!!!

Eu fiquei só olhando aquilo. Aí notei que as palavras se formavam na tela!
"Boa noite!"
?!?!??!?!?
Achei que tinha tomado Coca-Cola demais...
- "Cléver, você precisa tratar melhor os seus leitores, tem escrito muita coisa ruim"
- "Você está falando comigo?" -
Perguntei para ele
- "Falando não, porque não falo..."
- "Tá bom, tá bom, mas que papo é esse?"
- "Vou ser sua musa agora"
- "Musa??? Que eu saiba, musa é mulher, ou melhor ninfa"
- "Tá querendo o que, meu chapa? Você é brasileiro, pobre e mora longe, rsss"
- "Putsgrila... E ainda sacaneando... Você é O QUÊ afinal de contas?"
- "Sou sua musa"
- "Tá brincando mesmo. Escuta. Musa é mulher, preferencialmente bonita que inspira os autores, certo? E não um rato branco que nem você"
- "Não sou rato"
- "É o quê então?"
- "Um 'Escritorium auxiliatur', mas pode me chamar de Astolfo'"
- "Astolfo?!??!?, agora fudeu mesmo. Já não sou lá grandes coisas como escritor e tenho um rato como musa e ele se chama Astolfo?"
- "NÃO SOU RATO!!" -
e sapateou no teclado, pressionando o Caps-Lock
- "Tá bom, não é rato, esse treco ai. Tá bom Astolfo. Mas você vai me ajudar como mesmo?"
- "Vou te ajudar, quando o texto estiver uma merd*, eu vou te dizer que tá uma merd* antes de você clicar no botão laranja 'Publish Post', aí você vai lá, melhora os diálogos, dá uma incrementada nos personagens, corrige as concordâncias que você vive errando, faz o seu trabalho direitinho, aí eu deixo você clicar no botão laranja, ok?"
- "Fazer o quê? Tenho escolha? E se eu te jogar pela janela?"
- "Aí meus irmãos vão continuar aparecendo, você não tem escapatória, mas agora eu vou dormir, depois eu volto" -
teclou o maldito rato-porco-da-india-hamster-gizmo, com um sorriso cínico nos dentes incisivos

Teclando isso, ele pulou para cima da mesa, escondeu-se atrás do monitor deixando o rabinho à mostra.

Acho que vamos ter que aturar esse carinha por uns tempos.

segunda-feira, março 06, 2006

Alquimia


Qual o lugar mais importante da sua casa?
Se fizerem essa pergunta a um mineiro que nem eu, ele vai responder com certeza que é a cozinha.

Mineiro tem mania de cozinha.

É na cozinha que ele recebe os amigos, senta para comer um pão de queijo e tomar um cafezinho feito no coador de pano. É onde "a gente senta pra proseá" com os amigos, falar de nada e de muita coisa.

Acho que isso vem até da época das cavernas onde todos ficavam em volta de uma fogueira se aquecendo do calor do fogo e das almas.

Para o mineiro a fogueira virou o fogão de lenha. Se eu pudesse, na minha casa na cozinha ia ter um fogão à lenha (desculpem vizinhos!!). Aí é só juntar os amigos enquanto eu ia cozinhando.
Cozinhar é meio alquimia: uma pitada disso, uma folhinha de louro, açafrão para dar uma corzinha, e o papo rolando. A prosa vai rendendo, o cheirinho vai subindo das panelas, a comida vai ficando pronta e a amizade vai solidificando.

Domingo acordei e fui para a cozinha. Fui fazer almoço para minha namorada. Ela tinha pedido algo de diferente no sábado e lá fui eu inventar. Uma pitada disso, outra daquilo, tudo simples, mas ficou bom, modéstia a parte. Milho refogado, arroz com bastante alho, do jeito que ela gosta. Inventei um molho diferente e um filé suculento. Fiquei um tempão na cozinha, fazendo tudo devagarzinho, saboreando a experiência, provando os sabores.

Cozinhar algo para a pessoa que você tem carinho tem jeito de doação. É algo que nenhuma outra pessoa pode fazer. Só você, só daquela vez, porque de outra vai ser tudo diferente.

quinta-feira, março 02, 2006

Stones no Rio

Pediram para contar timtim por timtim como foi.
Então lá vai.
17/02 17:00 Saida de Udia apos 3 horas atraso
18/02 07:00 Chegada ao Rio - cansado "bracaray"
18/02 07:02 Descubro que meu TIM TDMA "turbo master" não funciona no Rio &%$#@@!""
18/02 07:30 Caminhada até a Praia de Copacabana porque não tinha como os ônibus chegarem até lá
18/02 09:00 Liguei (de orelhão, porque o meu TIM TDMA "turbo master" não funciona no Rio &%$#@@!"") para o Pelopes. O cara esnobou...
"Alô, quem fala?"
"Cláudio"
"Fala Pelopes!!!!"
"Você já exxsxxstá aqui?"
"Cheguei agora a pouco, vem pra cá"
"Saio daqui axxs 18:00, ai eu te ligo"
"Pelopes, meu TIM TDMA "turbo master" não funciona no Rio &%$#@@!""
"Beleza, maxssx meu 'ticket' de metrô é só para axxsxx 18:00"
"Eu tento te ligar lá pelas 19:00 de orelhão porque meu TIM TDMA "turbo master" não funciona no Rio &%$#@@!""
18/02 09:10 Momento turista : Fotos no Copacabana Palace, fotos no palco, etc
18/02 09:17 Momento "small world", encontro com o Lindualdson (amigo meu de Patrô) em plena praia
18/02 09:18 - 18:00 - Praia/camarão/ostra/banho de mar/sol torrando/ "no beer" of course
18/02 18:00 um DJ tenta tocar no palco, mas o som "fudeu"
(De agora em diante todos os horários são estimados, não por bebedeira, afinal "no beer" of course, mas porque eu não tinha coragem de tirar o celular do bolso para ver as horas, e além do mais... meu TIM TDMA "turbo master" não funciona no Rio &%$#@@!"")
18/02 19:00 - Até tentei ligar para o Pelopes do orelhão, mas tente imaginar 1 milhão de pessoas em pouco mais de 2 km de praia...
18/02 20:00 Começa o show do AfroReggae (fui tentar jantar, consegui)
18/02 21:00 Titãs toca só uns 40 min, mas de uma "raivosa melodia" 'felomenal'. Pena que o som estava uma bos**.
Set list aproximado:

  • Aluga-se
  • Flores
  • Marvim (pau no microfone)
  • Epitáfio
  • Bichos Escrotos (bateria deu uma "sumida")
  • Polícia
  • Vossa Excelência (A mãe do Lula foi constantemente lembrada)
  • Homem Primata
  • Sonífera Ilha
Neste momento eu estava a 20 metros do palco, exatamente entre o palco e o hotel. Resolvi sair, porque estava tão apertado que se eu passasse mal só ia cair no chão lá pela 1 da manhã
18/02 21:45 Eu consegui andar 500m em 45min!!!! Já dava para respirar sem pedir licença ao cara ao lado. O Morcegão, sozinho (no meio de 1,2 milhões), ansioso pelo começo do show. Agora era esperar "os caras"
18/02 22:00 Agora é história... "os caras" são foda!!! Frase de Sir Mick Jagger (em brasuca mesmo) "Copacabana, esta é a melhor festa do mundo".
  • "Jumpin" Jack Flash" Imaginem 1,2 milhões de pessoas gritando...
  • "It's Only rock and roll
  • "You Got Me Rock"
  • "Tumblin dice"
  • "Oh no not you again"
  • "Wild Horses"
  • "Rain fall down"
  • "Midnight rambler"
  • "The night time is the right time"
  • "This place is empty"
  • "Happy"
  • "Miss You"
  • "Rough Justice"
  • "Get off of my cloud"
  • "Honky tonk woman"
  • "Sympathy for de devil"
  • "Start me up" Imaginem 1,2 milhões de pessoas gritando...
  • "Brown Sugar" Imaginem 1,2 milhões de pessoas gritando...
  • "You Can't Always get what you want" Imaginem 1,2 milhões de pessoas cantando o refrão...
  • (I Can't Get No) Satisfaction Imaginem 1,2 milhões de pessoas gritando e cantando...
19/02 00:30 Show acaba (too early, life is too short...) agora é hora de tentar achar o pessoal da excursão
19/02 01:30 Putaqueopariu!!!!!! Tivemos que andar até o Aterro do Flamengo. Descobrimos que metade da excursão se perdeu. Fui dormir no ônibus.
19/02 05:00 Saída finalmente do Rio
19/02 19:00 Cheguei em Udia, torrado de sol, começo de diarréia (camarão, ostra, lembra??). Mas....


It´s only rock´n´roll but I LOVE it

Gesso

- Maria, abaixa o rádio?
Ele há horas tentava se concentrar no trabalho. Desde que quebrara a perna e tivera que a engessar começara a trabalhar em casa. O telefone e o Msn viraram companhia constante para manter-se conectado à empresa.
Era analista de sistemas e esse incidente alterara bastante a sua rotina. Perna em cima de uma cadeira, dores nas costas por causa da má posição eram companheiras. A outra companhia, a Maria, era a faxineira que vinha dia sim, dia não dar um jeito na casa.
Não tinha namorada nem família na cidade, então era a solidão mesmo, ainda mais desde a última semana onde uma simples partida de futebol causara aquilo.
Era o dia inteiro em frente do computador, trabalhando ou apenas navegando na Internet.

- Maria, abaixa esse rádio!
- Já vou abaixar, desculpa!

Maria era uma ótima pessoa, apesar de nunca ter convivido muito com ela. Conhecera na empresa era responsável pela copa, sempre com um papo agradável e uma xícara de café fumegante e amargo exatamente do jeito que ele gostava. Pessoa simples de alma boa e generosa, criava um filho sozinho trabalhando em um sem número de lugares.

Mas tinha o rádio... Ele não sabia porque nunca estava em casa ao mesmo tempo que ela. Mas desde a semana passada, era dia sim, dia não um rádio num altura medonha enquanto ela trabalhava. No começo não incomodou muito, mas hoje estava especialmente irritante. Foi até meio grosseiro sem querer, mas aquele rádio estava insuportável.

Aquele gesso estava deixando-o irritado demais... Fazia calor.

Espancava furiosamente o teclado afim de terminar logo a tarefa a tempo de enviar para a empresa. Calor, rádio alto...

Mais quinze minutos e terminaria. E o rádio continuava...

- Maria, abaixa o rádio?

Terminou a tempo. Enviou por email a tarefa. Levantou-se da cadeira, foi pulando até o aparelho de som e aumentou o som. Agora era hora de relaxar.