Páginas

quarta-feira, fevereiro 06, 2008

Porta-Retrato

O novo padre acabara de chegar a Ouro Preto para substituir o antigo pároco que desaparecera 3 meses antes.
Dirigiu-se à igreja do Pilar onde foi recebido e encaminhado por uma beata ao seu quarto que ficava em um sobrado logo ao lado.
Quarto simples, sem muitos móveis, apenas uma cama, um oratório e mesa compunham a decoração espartana.
Sobre a mesa, um porta retrato com a foto do pároco desaparecido.
Ele quis saber notícias sobre ele.

"Ele sumiu em uma noite, logo depois de confessar um jovem que veio até aqui", disse a beata.

À noite, ao deitar-se ele foi tirar o porta retrato da mesa para colocar em alguma gaveta. Este era estranhamente pesado. Cortou o pulso na borda quando tentou segurar com apenas uma mão e este escorregou.
O sangue escorreu pela mesa e molhou o chão.
O padre saiu do quarto para buscar um pano para limpar aquela sujeira, ao voltar tudo estava limpo. Ele chamou pela beata.

"Não senhor, não estive aqui, estava deitada e só levantei quando me chamou"

"Estranho", pensou o padre e foi ate o banheiro da casa, procurar algo para fazer um curativo.
Retornando ao quarto, notou que a foto parecia mais nova do que quando a vira pela primeira vez. Não deu atenção ao fato e deitou-se exausto depois de um dia de viagem.

Foi a última vez que foi visto a não ser na nova foto que estava agora em cima da mesa...

Publicado originalmente em : http://vladracul.blogspot.com/2005_03_01_archive.html

Mais grana para o casamento

Segunda feira demos entrada na papelada para o casamento civil.
E lá se foram mais uns 450 reais.
Casar dói no bolso! rsss

Aviões de papel na estratosfera

Achei muito legal essa matéria, beirando a uma visão poética da simplicidade

http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL288634-5603,00.html

Uma espaçonave feita de dobradura de papel cruzando os céus pode parecer uma idéia absurda, mas cientistas japoneses planejam lançar aviões de papel da Estação Espacial Internacional para ver se eles conseguem retornar à Terra.

Nesta quarta-feira (6), pesquisadores da Universidade de Tóquio testaram pequenos aviões em origami feitos com um papel especial por 30 segundos a uma temperatura de 250 graus Celsius e ventos sete vezes mais rápidos que o som. O avião sobreviveu intacto ao teste em túnel de vento. A teoria é que aeronaves de papel, por serem muito mais leves que ônibus espaciais, podem escapar dos piores efeitos da fricção e do calor que naves espaciais muito mais pesadas enfrentam ao retornarem à atmosfera.

"Aviões de papel são extremamente leves, assim eles desaceleram quando o ar está rarefeito e podem descer gradualmente", afirmou Shinji Suzuki, professor de engenharia aeroespacial. Suzuki afirmou que a tecnologia pode ser usada um dia para aeronaves espaciais não tripuladas.A equipe pediu que astronautas japoneses lancem os aviões de 20 centímetros, feitos com um papel quimicamente tratado para resistir ao calor e à água, da estação espacial. Levará muitos meses para que os aviões atinjam a Terra e não há como prever seu ponto de aterrissagem se eles conseguirem superar os efeitos da reentrada, afirmou Suzuki."Vai ser a versão espacial das mensagens nas garrafas. Será ótimo se alguém conseguir pegar um", disse ele. "Estamos pensando em escrever mensagens nos aviões dizendo 'se encontrar, por favor nos avise' em alguns idiomas".