Páginas

terça-feira, outubro 28, 2008

Uma boa idéia

Nos últimos dois dias, a empresa onde presto serviços colocou um "showzinho" ao vivo.
Voz e violão durante o horário de trabalho.
Ajuda a tirar um pouco dessa tonelada de stress que eu ando.

segunda-feira, outubro 27, 2008

Mudanças

O homem santo reuniu os seus amigos.  “Estou velho”, disse ele.

“E sábio”, respondeu um dos amigos. “Sempre te vimos rezando durante todo este tempo. O que conversas com Deus?”

“No começo, eu tinha o entusiasmo da juventude. Pedia a Deus que me desse forças para mudar a humanidade. Aos poucos, percebi que isto era impossível. Então passei a pedir a Deus que me desse forças para mudar quem estava a minha volta”.

“Agora já estou velho, e minha oração é muito mais simples. Peço a Deus o que devia ter pedido desde o começo”.

“O que pedes?”, insistiu o amigo.

“Peço para que consiga mudar a mim mesmo”.

Paulo Coelho

sexta-feira, outubro 24, 2008

Crer sem crer

O guerreiro da luz tem crises de fé. Há momentos em que não crê em nada, e é tomado de desânimo.

Ele senta-se em seu quarto, olha a parede diante de si. Não tem ânimo ou vontade de fazer nada. E pergunta ao seu coração: ” Será que vale a pena tanto esforço?”

Mas, por causa do momento de crise, o coração continua calado. E o guerreiro tem que decidir por si mesmo.

Então - como sempre - o guerreiro procura um exemplo em Jesus. O Filho de Deus deve ter passado por algo semelhante - ou não teria vivido a condição humana em sua plenitude.

E o guerreiro se recorda. “Afasta de mim este cálice”, disse Jesus. Também ele passou por isso.

O guerreiro da luz continua sem fé. Mas segue adiante assim mesmo, e a fé termina voltando.

Paulo Coelho

quinta-feira, outubro 23, 2008

Notícias

Desculpem se esse blog parece meio "largado" esses dias.
Têm sido dias bastante atribulados, no trabalho, vida familiar e particular.
Mas deixo aqui um poema do Mário Quintana:

DA OBSERVAÇÃO

Não te irrites, por mais que te fizerem...
Estuda, a frio, o coração alheio.
Farás, assim, do mal que eles te querem,
Teu mais amável e sutil recreio...

Mario Quintana - Espelho Mágico

quinta-feira, outubro 16, 2008

Frase do dia

http://www.quotationspage.com/quote/32620.html
"Normal is getting dressed in clothes that you buy for work and driving through traffic in a car that you are still paying for - in order to get to the job you need to pay for the clothes and the car, and the house you leave vacant all day so you can afford to live in it"

Tradução livre:
Normal é vestir as roupas que você comprou para ir trabalhar, enfrentar o trânsito em um carro que ainda está pagando para ir para um trabalho que você precisa para pagar suas roupas, o carro e a casa que você deixa o dia todo vazia

quarta-feira, outubro 15, 2008

IGE

Tudo acertado, começaram agora os preparativos.
Criei até um "ning" para acompanhar o nosso grupo : http://ige4770.ning.com/

quinta-feira, outubro 02, 2008

Palavras Mortíferas

Texto de uma grande amiga e professora (Bianca Brasil)

 

As palavras parecem ser eternas. No instante em que você as pronuncia em alta voz, está literalmente escrevendo-as no coração de alguém. Pode ser que esse alguém viva a vida inteira segundo tais palavras.O que você disse  para a pessoa que ama no dia de hoje? Que palavras gravou no coração e na mente dessa pessoa até agora?

- Extraído de um jornal religioso

 

Passei os últimos dois dias pensando muito sobre este texto... e gostaria de dividir com vocês algumas reflexões:

 

É MUITO DIFÍCIL CONTROLAR-SE, principalmente nos momentos de ira, mas será que não vale a pena começar a se treinar e a se controlar para evitar destruir a auto-estima de alguém que amamos e prezamos? E a verdade é que geralmente só dizemos palavras mortíferas aqueles que realmente amamos. Por que insistimos em tratar estranhos e pessoas que não nos somam nada de forma tão amorosa e atenciosa, enquanto aqueles que estão ao nosso lado.... matamos aos poucos?

 

A situação é a seguinte,

Há muitas pessoas que desistiram da vida por simplesmente não suportarem mais. Maridos desistem de suas esposas e filhos por causa dessas palavras mortíferas, constantemente repetidas; filhos se entregam às drogas e ao álcool e à promiscuidade por causa de palavras que nunca deveriam ser ditas. Quando uma esposa diz ao marido com quem convive há 20 nos que ele é um bom homem... ele se sente um bom homem. Mas, para que ele se sinta tão bom assim, na mesma proporção, com mulheres que não o conhecem... quantas mulheres dizendo que ele é bom serão necessárias para equivaler ao de sua mulher, por quem ele há 20 anos trabalha e batalha? Quantos amigos drogados, parceiros sexuais, pedófilos serão necessários para elogiar um jovenzinho para que compense as críticas e comentários de inferioridade de um pai ou de uma mãe? Crianças inferiorizadas em casa são presa fácil para os lobos da rua. Somos seres maximocratas, sempre vuscamos o máximo de satisfatores. Isso quer dizer que uma criança feliz em casa não quer sair para a rua, não se deixa levar facilmente por aqueles que fazem tão pouco para obter favores em troca. Uma criança que se sente rejeitada e desprezada em casa... qualquer docinho, elogio, ficha de fliperama compra seu pudor e seu carinho.

 

Eu ouço pacientes, amigos e familiares fazerem comentários de choque todos os dias a respeito de pais que assassinam seus filhos, abusam de crianças sexualmente, ... e quanto ao abuso emocional e mental? Esse abuso que acomete a todos nós todos os dias e não percebemos que diferente de um assassinato, um tiro, ou qualquer outro ato que tire a vida num instante, esse abuso vai tirando a nossa vontade de viver e de lutar e de continuar, bem vagarosamente, e dói!!! É como um câncer que vai crescendo em silêncio às custas da extorsão de outros órgãos e sistemas, aos poucos, um tumor vai comprometendo cada parte de nosso organismo, até que um dia ele se pronuncia. Só que quando esse dia chega... já é tarde. Então o paciente com câncer tem que viver de quimioterapia, medicamentos fortíssimos para conter a dor, mas chega um momento que nada mais funciona. Esse paciente não consegue se livrar da dor e nem mesmo consegue morrer. Essa pessoa vai desejar a morte a cada fôlego e rezar para Deus dar um basta em tudo aquilo.

 

Essas palavras neoplásicas, cancerígenas, crescem em silêncio dentro de nós. Nossa quimioterapia é a fuga: drogas, álcool, sexo, mentiras, abuso de poder, ameaças, barganhas, e até mesmo uma religião. Ficamos cegos diante da realidade porque parece que não há saída, e nos apegamos a algo de forma que não teremos de lidar com o dia de hoje, simplesmente porque alguém que amamos mais do que qualquer coisa neste mundo nos disse que não somos capazes, que não somos fortes, belos, inteligentes, ou dignos de receber amor.

 

Baseando-se nisso, como pais, temos a responsabilidade de ensinar, educar e corrigir nossos filhos. Porém, temos de nos lembrar que as nossas palavras têm mais poder sobre eles do que as de qualquer outra pessoa. Nossos filhos suportarão ataques e confrontos de colegas de escola, irmãos, primos e colegas, mas jamais suportarão palavras destrutivas de um pai ou de uma mãe. Olhe para dentro e procure se lembrar de coisas que seus pais lhe disseram e que você carrega imensa dor até hoje. As coisas das quais eles nos inferiorizaram são as coisas que como adultos passamos a fugir ou tentamos superar todo o resto do mundo desesperadamente para provar para o pai e para a mãe que vive dentro de nossas cabeças que nós podemos sim! Mas é aquela fome que quanto mais se come, mais fome se tem... é realmente um câncer na alma.

 

Nossos pais não erraram porque são maus, eles erraram porque não sabiam fazer melhor, não sabiam das conseqüências. Nossos pais e avós não tinham tempo para pensar nesse tipo de coisa. Nossos antepassados tinham que buscar a água no poço, plantar comida, moer o trigo e andar quilômetros para buscar provisões. Hoje, temos tudo à mão. Quem quiser não precisa sair de casa: trabalha, estuda e faz compras pela net. Vamos usar nossos escravos tecnológicos para que possamos ter mais tempo para pensar em como podemos melhorar.  A dor que passamos e vivemos das palavras que nos foram ditas não vai passar... nós é que temos que ficar mais fortes para suportá-la. Entretanto, temos que perdoar aqueles que implantaram essa dor em nossos corações, lembrando que no fundo, no fundo, ninguém é ruim, ninguém faz nada acreditando que está errado No momento em que qualquer pessoa praticou a pior das atrocidades, naquele momento, ela acreditava piamente que estava certa e que tinha todas as razões do mundo para agir de tal forma. Não viemos a este mundo para julgar ninguém, para isto, existe um Deus.

 

Julgamento só traz mais dor. Vamos lidar com a realidade e estudar meios de melhorar um pouquinho a cada dia. E como disse Kurosaki Ichigo do Anime Bleach:

 

“Eu quero mudar o mundo, mas sei que sou pequeno demais para mudar o mundo. Sou pequeno demais para mudar 1% do mundo, mas se nos unirmos e dividirmos o mundo em pequenos lotes, talvez possamos mudar alguma coisa. Se uma ínfima parte de um pequeno lote for o tamanho do mundo que eu possa mudar, eu já me darei por contente.”

 

Pessoal, vamos parar de perder tempo discutindo o porquê das pessoas aí fora cometerem atrocidades e usar esse tempo para discutir meios de nos desenvolver como pais, filhos, amigos, profissionais e seres humanos que somos. Ficamos lendo a Bíblia, freqüentando centros religiosos e dizemos que não temos tempo para sentar com um filho ou cônjuge e abrir o coração com carinho e sinceridade. Passamos horas na internet e não sentamos com a família uma vez por mês para ter um feedback individual do que poderia ser melhorado, do que está faltando... pensem nisso.

 

Que Deus ilumine o coração de vocês e que a Natureza lhes dê sabedoria para que possamos fazer desse tempo em que vivemos o momento da maior descoberta na história do ser humano: a descoberta de que realmente temos o poder de mudar o curso da vida para melhor.

 

Um abraço repleto de afeto e amor para cada um de vocês.

 

Obrigada pela atenção.

 

Bianca Brasil de Paula Machado

quarta-feira, outubro 01, 2008